Concentração durante a programação

typing on the computer

A programação é uma atividade que requer esforço mental, criatividade, imaginação e muita concentração. Neste post vou falar um pouco sobre alguns aspectos importantes relacionados à concentração durante a programação.

Figura2_Concentracao O profissional que trabalha com programação possui uma certa tendência a se isolar e se concentrar profundamente em uma tarefa. Esta concentração é tão comum que o termo “in the zone” foi adaptado do mundo dos esportes para descrever estes momentos de extremo isolamento, foco e, por que não, empolgação no desenvolvimento.

São características desta fase a capacidade de se isolar completamente de barulhos de fundo, pressão da gerência, cansaço físico e mental, dor e até de notificações tão frequentes nas redes sociais. De fato, este período de estar “in the zone” é considerado um dos momentos mais produtivos e que geralmente dá origem a resultados importantes, sejam eles efetivos/eficazes ou não. E como o tempo de profissionais qualificados é precioso, não é uma má ideia investir para que programadores consigam entrar nesta zone de concentração máxima.

Quem observa este comportamento deve tomar alguns cuidados, especialmente para não interromper quem está “in the zone”. Fazendo uma analogia, é como se um jogador de futebol tivesse passado por quatro zagueiros sozinho e se posicionado de cara para o goleiro. Ninguém quer interromper esta que pode ser uma linda jogada que resulta em um gol. Assim como o jogador que pode perder o gol, o programador que for interrompido do seu período de concentração extrema pode levar um bom tempo para se lembrar do que estava fazendo, para alcançar novamente o ponto do código ou mesmo para lembrar das micro tarefas que ele iria fazer em seguida e que nem sequer anotou.
Figura3_ProgramacaoFone

Isso quer dizer que é preciso saber identificar quando um programador está “in the zone”. Existem alguns sinais e comunicações não verbais que alguns profissionais fazem questão de indicar para deixar claro que eles não querem ser perturbados. Um exemplo claro é o uso de fones de ouvido: assim como muitas pessoas colocam um papel “NÃO PERTURBE” na maçaneta de fora da porta de um hotel, diversos programadores usam o ato de colocar fones de ouvido (mesmo que não estejam escutando nada) para indicar que não querem ser perturbados e interrompidos e não perder a “inércia” que obtiveram por estar “in the zone” enquanto programam.

Se por um lado diversos programadores conseguem alcançar facilmente este estado de “meditação” enquanto programam, por outro lado alguns iniciantes na área possuem dificuldade para chegar lá. Existem algumas técnicas que auxiliam e estimulam a concentração como, por exemplo, ferramentas para gerenciamento de tempo, a técnica pomodoro, use de games e até o consumo de substâncias como o café e energéticos. Este artigo possui mais algumas recomendações interessantes sobre o assunto.

Figura4_ProgramacaoCafeUm dos pontos controversos relacionados a concentração durante a programação é o uso de música. Eu particularmente não consigo me concentrar e tenho muita dificuldade de fazer diversas atividades, como ler e programar, escutando música ou algum áudio de fundo, mesmo que seja com volume baixo ou apenas instrumental. Contudo, esta é uma característica minha e cada programador deve parar um pouco e pensar como ele se concentra melhor para alcançar o estado de “in the zone”, independente do que os outros acham ou recomendam.

Outro ponto complicado quando se fala em foco é o horário específico para concentração. Alguns preferem à noite, enquanto outros preferem o período da manhã. Seja qual for o melhor período, é importante que todos os membros da equipe estejam ciente disso e compreendam que um certo programador pode produzir mais e melhor em certo horário, mesmo que tal período seja bem diferente dos demais. Muitas vezes não é uma tarefa fácil “forçar” a entrada no nível de concentração adequado para resolver problemas complexos, especialmente considerando o calendário e agenda de certos projetos de software. Contudo, saber adequar horários, tarefas e níveis de concentração é uma daquelas atividades que todo desenvolvedor deve possuir, pois isso vai ser muito útil durante a carreira na área técnica que envolve desenvolvimento de software.

E para finalizar, a figura abaixo mostra a sensação de muitos programadores quando o dia termina e eles percebem que conseguira ficar um bom tempo “in the zone” produzindo muita coisa legal.

Figura5_MemeWhatADay



Esta entrada foi publicada em Programação e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas a Concentração durante a programação

  1. Mauro, muito bom esse texto.
    No meu trabalho “faço uso de” músicas e podcasts para trabalhar.
    As músicas me dão um bom ânimo e me ajudam bastante na concentração.
    Dependendo das músicas eu fico até mais rápido no desenvolvimento das rotinas.
    Um grande abraço.

  2. Como comentei num post anterior aqui, sobre stress, nada como o auto conhecimento!

    Por exemplo, sempre tentei utilizar de músicas para me concentrar, mas hora ou outra me pegava quase quebrando uns vidros com uns desafinamentos e uns balanços desajeitados. Em contrapartida, recentemente resolvi testar – por um leve pensamento que me veio à mente – ouvir jazz, e fiquei pasmo, como aquilo me ajudou!!! Uma música instrumental, calma, me isola do barulho externo e não cria um novo ruído em minha mente. Realmente, recomendo muito o teste! Principalmente para quem não se dá bem com outros tipos de músicas.

    Quanto à substâncias como café, energéticos, cerveja… Bem, gosto sempre de ficar bebendo alguma coisa. A questão vem do auto conhecimento novamente… Testei algumas dessas bebidas mas nada me fez tão afoito e determinado como uma simples squeeze com pedras de gelo até o topo e preenchida os espaços com água já gelada. O estado gélido é perfeito para mim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *