Conteúdos e formatos de livros

FiguraPostFormatoLivro

Recentemente tenho pensado muito sobre conteúdos e formatos de livros, especialmente depois que o meu livro sobre banco de dados atingiu uma marca importante de vendas. Neste post vou falar um pouco sobre alguns tipos de conteúdo e formatos que modernizam este recurso educacional tão tradicional e importante.

FiguraGuiaMangaHeadFirs

Já comentei em artigos do iMasters (aqui e aqui) sobre livros que procuram abordar conteúdos de bancos de dados e programação de forma didática com o uso de Mangá e de fotos comentadas. Também já escrevi sobre livros para um determinado gênero que procuram abordar o conteúdo de forma diferenciada, voltados para o público jovem e com a redação e recursos adicionais bem humorados.

FiguraMathGirls

Este tipo de livro tenta capturar o leitor através da apresentação do conteúdo misturado com alguma linguagem (quadrinhos, fotos) ou recursos de diagramação (notas laterais, layout de página diferenciado). E, pelo que parece, tal abordagem vem funcionado bem, pois muitos deles acabam se tornando séries de livros levando à editora a apostar no texto e na apresentação diferenciada do conteúdo.

Ainda falando sobre o conteúdo, recentemente encontrei outras duas abordagens que fogem do padrão: a série de livros Tech Yourself Visually e a série Learn the hard way. A primeira foca no ensino através de imagens e telas da aplicação exclusivamente (cada página do livro contém uma imagem). Já a segunda abordagem se concentra em diversos tópicos através de exemplos de código com a saída na tela simples seguidos por exercícios que fazem com que o leitor se aprofunde em pontos que nem sempre são utilizados no dia a dia de quem programa.

185599 cover_rb2.qxp

lpthwbook

Apesar da iniciativa de apresentar o conteúdo em novas linguagens, formas de diagramar ou mesmo em metodologias de ensino diferenciadas, ainda enxergo estes livros com aqueles que seguem o formato padrão, mesmo que sejam consumidos no formato digital (EPUB, PDF ou outros). Contudo, existem outros formatos que também pode ser explorados e, se combinados com a forma adequada de apresentar o conteúdo, podem auxiliar muito o aprendizado.

Um exemplo de formato interessante é representado pela categoria de livros pop-up, ou seja, aqueles livros que contém dobraduras que se formam quando uma nova página é aberta. Até recentemente este tipo de livro era empregado exclusivamente para o público infantil, mas como as imagens abaixo demonstram este tipo de livro também pode ser utilizado para ilustrar conteúdo didáticos voltados para adultos. Basta saber aliar o conteúdo com algum tipo de animação ou representação como, por exemplo, o uso de gifs animados para representar a execução de algoritmos que já falei aqui no blog.

Pop-up book do jogo Portal

Pop-up book do jogo Portal

Este pop-up book explica as características de certas flores

Este pop-up book explica as características de certas flores

Depois deste pop-up book eu encerro o meu caso

Depois deste pop-up book eu encerro o meu caso

Pegando carona na onda da estereoscopia (o popular 3D) de filmes e da realidade aumentada, já existem alguns livros que contém página com imagens estereoscópias anáglifas (o famoso três com lentes de cores diferentes) e QR codes que mostram animações em 3D. Apesar de interessante, não tenho visto este recurso ser utilizado com fins educacionais e didáticos. Talvez eles possam ser utilizado para visualizar o gráfico de uma função que tenha coordenadas polares ou que seja visualizada de forma melhor em um gráfico com os eixos X, Y e Z. Certamente há diversos exemplos onde tal recurso possa ser explorado para facilitar a compreensão e não apenas como uma curiosidade.

Essa é ou não é uma imagem que faz você querer comprar o livro?

Essa é ou não é uma imagem que faz você querer comprar o livro?

 

Não é bem esse o uso de didático de imagens anáglifas em livros que eu gostaria de ver

Não é bem esse o uso de didático de imagens anáglifas em livros que eu gostaria de ver

O formato retangular tradicional de um livro é algo muito, muito antigo. Enquanto ele pode ser útil para facilitar a leitura, existem alguns livros que exploram como mudar este formato para se destacar dos demais em uma estante de uma livraria, por exemplo. Cito como exemplo desta categoria um livro no formato de um pote de Nutella, de pão tostado e de Hamburguer. Estes livros contêm receitas culinárias que utilizam o ingrediente Nutella, produzem diferentes pãos tostados e mostram como montar hamburguers realmente suculentos, respectivamente.

Sim, existe um livro em formato de Hamburger!

Sim, existe um livro em formato de Hamburger!

Outra abordagem que chamou a minha atenção recentemente foi o projeto Bridgingbook, cuja proposta é tornar a leitura de livros infantis uma experiência interativa através de uma aplicação para um tablet ou smartphone. Não estou falando sobre livros feitos para exclusivamente para iPads (como este ou esta aplicação para construção de livros interativos) que contam como uma interação adicional. O exemplo que citei é uma forma mais natural de expandir, complementar e trazer a vida o conteúdo que já existe em um livro tradicional, como o vídeo abaixo mostra.

Para finalizar, acredito que existem diversas maneiras e abordagens que podem ser empregadas para fugir da maneira em voga de apresentar conteúdo e do formato tradicional do livro. Contudo, enquanto tais propostas podem se tornar didáticas e auxiliar quem está querendo aprender sobre o assunto, elas também podem afastar quem procura a informação curta e grossa e não tem tempo a perder com alegorias, firulas e recursos didáticos.



Esta entrada foi publicada em Livro e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *