Dicas para criar vídeo aulas, tutoriais em vídeo e webinars

DicasVideoAulaTutorialWebinarCapaJá faz pelo menos 10 anos que produzo diversos conteúdos no formato de vídeo aula. Este formato de ensino é muito importante para quem está aprendendo, pois ele mostra passo a passo como realizar uma determinada tarefa na prática sem rodeios.

Lembro bem quando o YouTube começou a se popularizar antes dele ser comprado pelo Google e como as vídeo aulas ou tutorais em vídeo começaram a aparecer. Desde aquela época até hoje tenho não só produzido conteúdo neste formato como também consumo e aprendendo muito. Devido à minha experiência na produção deste tipo de material resolvi apresentar algumas dicas e recomendações para quem quer ensinar algo neste formato. Não por coincidência, utilizo algumas destas recomendações para produzir o DatabaseCast de modo mais profissional possível.

Estas dicas podem ajudar produtores de conteúdo em vídeo e também o pessoal que produz cursos, seminários na web (webinars) e também quem faz demonstrações ao vivo em palestras com live coding.

Evite ruído

Quem está assistindo a uma vídeo aula quer aprender algo e qualquer tipo de distração pode acabar atrapalhando o aprendizado. Infelizmente é muito comum encontrar vídeo aulas com muito ruído no áudio, sendo que os mais comuns são: carros passando na rua próxima à gravação, barulho de avião, cachorro latindo, porta e janelas se abrindo, vozes de terceiros ao fundo e bebê chorando. Este tipo de ruído de fundo atrapalha a concentração de quem está ouvindo o conteúdo e dá a impressão de quem está produzindo o vídeo não é detalhista e não se preocupa com o resultado final.

Outro tipo de ruído muito comum é aquele produzido por quem está falando. Muitas vezes é possível ouvir alguém tossindo, arrotando ou produzindo sons corporais estranhos que confundem quem está assistindo ao vídeo. Outro ponto importante é evitar vícios de linguagem, sotaque muito carregado, palavras de baixo calão e expressões culturais muito específicas de uma região, uma vez que não se pode prever quem será a audiência. Também é importante manter o ritmo da voz (não falar muito rápido e nem muito devagar) e sempre ouvir como ficou o conteúdo antes de publicá-lo.

Muitas vezes não dá para evitar que isso aconteça durante a gravação. Nestes casos é preciso ter paciência e gravar de novo. Eu sei, às vezes é muito complicado gravar somente a parte que ficou com ruído, mas se você quer produzir um vídeo de sucesso vai ter que esforçar. Também é possível tirar algum ruído com o programa de edição, porém esta opção deve sempre ficar em segundo plano.

Sempre disponibilize os artefatos utilizados

Durante o decorrer da gravação é muito comum manipular diversos artefatos tais como código fonte, imagens, modelos, projetos, arquivos de estilo, XML, CSV, dados de tabelas, arquivos de configuração e outros.

A maioria das pessoas que assiste a uma vídeo aula quer, em algum momento, tentar algo que foi mostrado e, para isso, é necessário o acesso aos recursos utilizados. Portanto, sempre disponibilize os artefatos empregados no vídeo para a audiência. Estes arquivos podem ser colocados em um serviço tipo GitHub ou mesmo em um repositório de arquivos com acesso direto para download. Lembre-se: quanto mais fácil for o acesso aos arquivos mais simples vai ser alguém testar o que foi explicado no vídeo e, quem sabe, gostar e ajudar na divulgação do seu vídeo.

Mantenha um clima informal

Quem assiste a uma vídeo aula quer a informação de forma rápida e simples. Porém isso não quer dizer que deve-se sempre utilizar um tom formal, seco e frio. Para auxiliar o aprendizado é possível colocar algumas pitadas bem ponderadas de humor e seguir uma linha informal sem comprometer o conteúdo.

Sarcasmo, alívio cômico, ironia, irreverência, zé-gracismo e outros tipos de humor podem ajudar o seu vídeo a se popularizar e tornar mais leve a tarefa do aprendizado, especialmente se você estiver apresentando conceitos teóricos ou uma sequência grande e complexa de passos a serem seguidos. Só não abuse deste recurso e não se esqueça de voltar para o tópico do vídeo rapidamente.

Mostre claramente a tela

DicasVideoAulaTutorialWebinarMostreTela

Talvez a principal reclamação de quem assiste uma vídeo aula seja a dificuldade para enxergar algo. Atualmente a resolução tanto de desktops quanto de plataformas móveis cresce cada vez mais e nem sempre é possível mostrar claramente todos os locais onde se está clicando, digitando ou mesmo posicionando o mouse sem usar nenhum recurso adicional. Aliado a este cenário temos a interface de IDEs e ferramentas se tornando cada vez mais complexas e com diversos elementos que ocupam boa parte da tela.

Existem diversas maneiras de se facilitar a visualização do conteúdo tais como: utilizar alguma ferramenta de zoom (como o Zoom it), colorir uma região da tela quando um clique é realizado ou mesmo inserir o conteúdo de um comando, linha do código fonte ou uma URL diretamente no vídeo durante a etapa de edição. Independente da maneira escolhida, SEMPRE garanta que o que foi mostrado pode ser visto claramente e sem ambiguidade.

Outro ponto importante é a separar do conteúdo que será mostrado no vídeo dos arquivos e configurações pessoais. Uma ótima alternativa para isso é recorrer a máquinas virtuais (VMWare, Xen, etc), pois elas criam um ambiente separado da máquina de quem cria o vídeo. Afinal de contas, quem está assistindo ao vídeo não quer ser distraído pelos ícones no desktop, histórico do navegador ou aplicativos que estão rodando na máquina de quem produz o vídeo e que não são relacionados com o conteúdo apresentado.

Assine seu trabalho

DicasVideoAulaTutorialWebinarAssineTrabalho

Muitas pessoas que produzem vídeo aulas acabam indo diretamente para a parte técnica e não gastam alguns momentos para se apresentar e fornecer seus contatos. Vale à pena investir em vinhetas ou mesmo colocar de forma adequada o nome do autor junto com os seus contatos. Mas não abuse: evite ficar pedindo likes e assinantes do seu canal em todos os vídeos. Também não gaste mais tempo falando da sua experiência, qualificação, habilidades e títulos do que apresentando o conteúdo.

Outra dica é assinar a sua obra da mesma forma que os artistas fazem. Existem diversas maneiras para se fazer isso: vinhetas, marca d’água, papel de parede do desktop ou trilhas sonoras exclusivas. Além de registrar o seu conteúdo estes recursos mostram que você está preocupado em ser profissional e se destacar pelo seu trabalho.

Foco no conteúdo

DicasVideoAulaTutorialWebinarFocoConteudo

A vídeo aula que se propõe a ensinar algo através da demonstração prática deve evitar enrolação. Isso quer dizer que é importante citar os aspectos teóricos necessários sem divergir muito do assunto. Também é interessante citar um ou outro exemplo de situações onde o que está sendo mostrado pode ser útil.

Outro ponto importante do conteúdo é a descrição de algum pré-requisito ou recurso necessário. Dizer logo no começo qual é a edição e versão do sistema operacional e dos demais softwares utilizados ajuda quem está assistindo a saber se vai ser possível testar o que foi apresentado no ambiente atual ou se vai ser necessário alguma configuração ou criação de um ambiente adequado. Isso é importante: sempre deixe claro que o que está sendo mostrando funciona em um determinado contexto específico e que a sequência de passos funciona no momento em que a vídeo aula foi gravada, pois menus podem mudar, comandos podem deixar de existir e funcionalidades podem ser modificadas ou removidas. Ninguém sabe no futuro como os softwares vão estar e, por isso, destacar o contexto é importante.

Procure sempre melhorarDicasVideoAulaTutorialWebinarFeedBack Quem produz conteúdo em vídeo aulas para a internet deve sempre se preocupar com o feedback. Isso quer dizer que é importante ouvir o que as pessoas dizem ou ver o que elas escrevem em comentários. Isso é fundamental para saber o que funciona ou não do ponto de vista de conteúdo e da forma que ele é apresentado.

Tão importante quando ouvir o feedback é saber quais são os feedbacks bons e ruins. Muito do que é postado em comentários basicamente não agrega nada ao conteúdo atual e futuro, especialmente quando há mais foco em detalhes insignificantes do que nos pormenores essenciais para o aprendizado.

Em geral quem produz muito conteúdo no formato de vídeo aula deve sempre procurar melhorar e isso pode ser feito de várias formas: novos conteúdos, novas formas de apresentar o conteúdo, aprimoramento na qualidade técnica (novo hardware para captação de áudio, melhorias na edição), interatividade na audiência, recursos novos de divulgação de conteúdo e outras técnicas podem levar o seu conteúdo novos patamares de reconhecimento e criar uma comunidade em volta do que você produz. E isso caro leitor, é um dos principais segredos de quem produz conteúdo de qualidade na internet.



Esta entrada foi publicada em Apresentação, DatabaseCast, Podcast, Programação e marcada com a tag , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Dicas para criar vídeo aulas, tutoriais em vídeo e webinars

  1. Fabio Luis disse:

    Parabéns, excelente post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *