O que todo DBA júnior deve saber fazer

Figura1_CapaMuitos profissionais que estão começando a trabalhar como administradores de banco de dados (DBA) tem dúvidas sobre qual é básico do básico. Neste post vou falar com algumas operações e atividades que qualquer DBA obrigatoriamente deve saber fazer independente da tecnologia utilizada.

Apesar de existirem diversos SGBDs no mercado (incluindo SQL e NoSQL) muitas as operações básicas são as mesmas. É verdade que elas requerem conhecimentos específicos da plataforma, sistema operacional ou mesmo do produto, mas mesmo assim elas são relativamente simples e formam o mínimo do mínimo que qualquer profissional que assume o papel de DBA deve saber.

Verificar o status do serviço

Praticamente todo o banco de dados roda como um serviço, isto é, ele é executado como um processo no sistema operacional sem que haja nenhuma interface interativa direta. Este serviço deve estar sempre disponível e é uma das principais tarefas de qualquer DBA verificar o status do serviço do banco e, se for o caso, inicia-lo, pará-lo ou tomar alguma outra atitude em relação ao serviço, seja ele um deamon do Linux ou um serviço do Windows.

Saber onde estão os logs do servidor de banco de dados

Cada servidor de banco de dados possui um log interno de operações e, dependendo do produto, vários logs. Estes logs são arquivos texto contendo informações sobre as operações realizadas, avisos e mensagens de erro.

Os DBAs júniores devem ser capazes de rapidamente identificar onde o log está gravado para que seja possível fazer sua leitura e identificar mensagens importantes. Também é muito útil saber as opções ligadas ao log como, por exemplo, o nível e quantidade de mensagens (o quão verboso o log é) e opções para lidar com logs cíclicos que geram vários arquivos.




Informar a saúde do bancos

De nada adianta um servidor de banco de dados se ele não possui bancos de dados que estejam disponíveis para as aplicações. Isso quer dizer que o DBA deve, no mínimo, ser capaz de dizer se um banco está Online ou Offline, em processo de recuperação, desabilitado ou com outro tipo de problema/característica que impeça ou impacte o uso normal da base. Se um DBA não saber informar qual é o status e saúde de banco de dados ele é equivalente a um mecânico que não sabe dizer se um carro pode rodar na rua ou não.

Responder quanto cada banco está ocupando em disco

Os bancos de dados possuem uma tendência a acumularem muitos dados e isso gera um impacto no espaço ocupado em disco. Eu acredito que o DBA sempre deve estar ciente do tamanho da suas bases, pois assim ele está preparado para lidar com questões importantes de dimensionamento, especialmente em cenário e situações onde há uma demanda muito grande para o armazenamento de dados.

Calcular o espaço em disco ocupado por um banco de dados pode ser simples ou complicado dependendo de diversas opões, configurações e escolhas que foram feitas no design e da implementação física do banco de dados. Muitas vezes é preciso considerar não apenas os arquivos de dados, mas também arquivos de log de transação e outros.

Estar ciente de quando foi o último backup

Um DBA que não faz backup ou não tem consciência desta prática nem deve ter o título de DBA. De fato, se o DBA é um xerife do banco de dados, se ele não faz backup ou não sabe quando o último backup foi feito ele pode se preparar para perder o seu distintivo.

Quando falamos em backup é importante destacar o planejamento, política e estratégia de realização dessa importante atividade. Muitas vezes o último backup feito pode ser o salvador da pátria e garantir que a empresa não seja muito prejudicada, inclusive financeiramente.

Ter acesso fácil à documentação do produto

Os softwares de banco de dados atuais no mercado são produtos muito complexos devido a muitos anos de implementações, funcionalidades e recursos diversos. Isto implica em dizer que é praticamente impossível saber tudo sobre um banco de dados, por melhor que o profissional seja.

Devido a esta característica, é muito importante saber como ter acesso fácil e rápido à documentação oficial do produto, pois desta maneira é possível tirar dúvidas, estudar, aprender e encontrar o conhecimento necessário até o menor detalhe possível em relação ao banco de dados. Aqui a analogia é simples: da mesma forma que você não vai sair na chuva sem um guarda-chuva, não se arrisque a trabalhar com banco de dados sem saber como acessar e consultar a documentação oficial de um banco de dados.

Conhecer e saber enviar instruções SQL

Apesar de existirem muitas maneiras de lidar com os dados armazenados em diferentes tipos de servidores de banco de dados, a o SQL ainda é a linguagem mais utilizada no mundo para lidar com dados. Isto quer dizer que é preciso conhecer de trás para frente e de frente para trás pelo menos o básico do SQL se você for trabalhar manipulando dados.

O SQL não é uma linguagem muito difícil de aprender, pelo menos quando falamos do básico, pois ela se baseia fortemente em sentenças da língua inglesa. Isto contribui para que uma vez aprendida o básico desta linguagem possivelmente este conhecimento será muito utilizada daqui para frente justificando o investimento de tempo e esforço necessário para aprender SQL.

Esta entrada foi publicada em Carreira, Programação, SQL e marcada com a tag , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *